[ENTREVISTA] Joseph fala sobre a nova temporada de The Originals

Confira a entrevista traduzida que a TooFab fez com o Joseph.

 

Graças a um salto no tempo de 5 anos, as coisas serão bem diferentes em Nova Orleans quando “The Originals” voltar para sua quarta temporada nessa sexta-feira.

Infelizmente para Klaus, ele passou a maior parte desse tempo atrás das grades — ” sem uma troca de roupas,” a estrela Joseph Morgan brincou em sua entrevista com a TooFab, na qual ele previu maiores mudanças a vir.

Continue lendo para descobrir como o relacionamento de seu personagem com sua filha Hope — que é agora uma “pessoa que fala e pensa” — evoluiu, o que o retorno de Cami (Leah Pipes) significa e por que o co-protagonista Charles Michael Davis quer ficar no sofá de sua casa.

 

  Como você caracterizaria o relacionamento de Klaus e Marcel após esse salto no tempo? Klaus esteve preso esse tempo todo.

 

Bem, acho que Klaus está entre um ódio lento e intenso, e um profundo senso de desespero por estar preso na masmorra e tudo isso está sendo direcionado ao Marcel. Então não em um bom estado, mas compreensível, ele está naquela masmorra há 5 anos. O mínimo que Marcel poderia ter feito é ter dado a ele uma troca de roupas ou ter limpado um pouco ele, oferecido a ele um banho de espuma ou algo assim. Mas nada. Nenhuma hospitalidade. Só algemas e círculos de sal, então é onde estamos com isso.

 

Tem alguma cena da premiere ou que vai lançar ainda que você está muito animado para os fãs verem?

 

Honestamente, o que estou animado mesmo para os fãs verem é a relação do Klaus e Hope. Pra mim foi a parte mais legal da temporada, a mais divertida de gravar, a ideia do personagem conhecer sua filha de verdade pela primeira vez, agora que ela é uma pessoa que fala e pensa ao invés de um bebê. E também a introdução da força do mal, o Grande Mal da temporada inteira, o que acontece no episódio 4, a coisa que vai definir o tom da temporada inteira. Os últimos dois minutos do episódio 4, são incrivelmente animadores. Será muito interessante ver o que as pessoas pensam depois de tanto tempo longe.

 

Como Klaus é agora que é pai?

 

A temporada inteira é sobre a evolução do relacionamento entre ele e sua filha,  então ele está constantemente tentando se adaptar a isso e ser o homem que ele acredita que ela merece e ser um exemplo. Ao mesmo tempo, ele é quem ele é, e tem um temperamento e tem aquele para lutar contra. É uma grande luta para ele. Ele se sente constantemente em desequilíbrio.

 

Os fãs ficaram surpresos de ver Cami no primeiro trailer da temporada. O quão forte será a presença dela e como foi ter Leah de volta no set?

 

Ter Leah de volta no set foi tipo, “Hey, acabamos de ver você antes da pausa.” Fizemos toda essa despedida e do nada ela está de volta na temporada seguinte. É normal. Oh, não deveríamos ter feito tudo aquilo quando você foi embora. Tipo, tchau Leah, boa sorte no mundo. Oh, você está de volta.

 

Fisicamente, acredito que a presença dela dure por um episódio. Seu conselho para Klaus sobre sua filha e sua presença “com ele” se extende pela temporada.

 

Qual personagem, dinâmica, você acha que mais mudou durante a temporada?

 

Klaus e Hope, é claro. Porque ela é uma pessoa, ela expressa opiniões, demandas e expectativas. E isso é enorme para Klaus, significa o mundo pra ele. Ela é mesmo seu foco, mais agora do que nunca, em toda a temporada. Isso é uma dinâmica, que pra mim, a temporada toda gira em torno. Está constantemente evoluindo. Ele está desesperadamente tentando se estabelecer como parte da vida dela, merecer o amor de sua filha e fazer as pazes por ter ficado longe por tanto tempo.

 

Você também dirigiu um episódio essa temporada. Isso é algo que você gostaria de fazer mais e seguir fazendo?

 

Dirigir, sim, com certeza, eu trabalhei em um projeto no fim do ano passado que estamos acabando de publicar, chamado “Carousel”, que foi com um grande ator chamado Robert Knepper de “Prision Break”. Ele é um ator maravilhoso. Estou muito animado com esse projeto no qual trabalhamos juntos e eu dirigi, então estou definitivamente interessado em fazer mais disso. Eu sempre fui fascinado com tudo que acontece por atrás e na frente das câmeras. É de certa forma intrigante pra mim. Apresenta novos desafios, especialmente quando você está em uma serie por bastante tempo, é importante se manter estimulado e continuar se desafiando. Isso vem sido gratificante pra mim.

 

Charles Michael Davis dirigiu um episódio também. Ele disse que você é um verdadeiro profissional.

 

Eu queria poder dizer o mesmo sobre ele, mas eu simplesmente não posso. Apenas péssimo do começo ao final [risos]. Eu falei com ele outro dia na verdade, foi bem engraçado. Ele está pedindo para eu comprar uma casa para que ele possa dormir no meu sofá. Ele disse que faria uma ótima matéria no IMDB.

 

The CW

 

Você viu o final de “The Vampire Diaries”? E o que achou da carta do Klaus para a Caroline?

 

Eu não sabia disso. Eu meio que esperava que eles fossem fazer algo, você sabe, não deixar nenhuma ponta solta no final, acho. O cheque era de quanto?

Não vamos chamar isso de prostituição, não é isso que aconteceu. Foi apenas um presente em dinheiro de um homem para uma mulher. Eles podem se encontrar de novo e ele pode esperar algo.

Eu não sei mais o que esperar sobre tudo isso. Especularam muito sobre isso, e eu espero que ele não mergulhe e estrague tudo, e interfira… ele provavelmente fará isso, é a natureza dele.

 

Sabemos que Matt Davis aparecerá como Alaric nessa temporada — o que você pode nos dizer sobre isso?

 

Sim, ele aparece e eu filmei pelo menos uma cena com ele. Foi divertido, foi ótimo. Eu realmente sou um fã do trabalho dele. Ele é ótimo e eu adorei essa dinâmica porque tem essa coisa que… Klaus usou seu corpo quando ele apareceu pela primeira vez em “The Vampire Diaries” em alguns episódios. Foi bom ter ele ali e ele ter vindo e ter feito parte do programa. Foi bom.

 

“The Originals” volta hoje (sexta-feira 7/03) no CW.

O episódio vai ao ar as hrs (horário de Brasília). Clique aqui para assistir o episódio ao vivo.

 

FONTE | TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO JOSEPH MORGAN BRASIL

Deixe um comentário

Este artigo não possui comentários